Duracell Powermat Ring: energizando sem fio

Padrão

O ano de 2015 promete ser o ano em que a energia sem fio chegará ao grande público consumidor. Uma das apostas é o Duracell Powermat PMA-3 Ring nas versões Lightning (iDevices) e Micro USB.

Duracell Powermat PMA-3 Lightning Ring

Duracell Powermat PMA-3 Lightning Ring

Duracell Powermat Ring é um acessório que você acopla ao seu smart device e ao posicioná-lo sobre uma base emissora de energia compatível com a especificação PMA-3, é possível recarregar seu smartphone, por exemplo, sem a necessidade de conectores físicos.

Duracell Powermat PMA-3 Ring e suas versões

Duracell Powermat PMA-3 Ring e suas versões

O padrão PMA-3 é uma especificação da aliança de empresas Power Matters Alliance (PMA), que especifica a forma de comunicação e a forma de recarga sem fio entre uma base emissora de energia e o dispositivo receptor de energia. Existem outras duas grandes alianças de empresas que querem energizar o mundo com padrões próprios sem a necessidade de utilizar fios para tal: a A4WP, que reune as maiores empresas de tecnologia do mundo, e a Qi Wireless Power Consortium, que atualmente conta com quase o dobro de empresas que o A4WP. As especificações da PMA e Qi são muito semelhantes e miram atualmente os smart devices com bateria. Já as especificações defendidas pelo A4WP visam em grande parte a substituição dos cabos de alimentação em aparelhos em geral, que não possuem bateria acoplada. Logo, a queda de braço, tal como aconteceu com o VHS x BetaMAX e o Blu-ray x HD-DVD, acontece hoje apenas entre o PMA e o Qi Wireless Consortium. E a Duracell Powermat, do grupo Procter & Gamble, é parte integrante do PMA.

Logotipo da Duracell Powermat

Logotipo da Duracell Powermat

Como existe um protocolo de comunicação entre a base e o anel que de fato recarrega os dispositivos, é possível controlar quem pode ou não ter acesso à energia emitida pela base através de autenticações feitas por aplicativos ou via navegador.

Samsung Galaxy S4 conectado à versão micro USB do Duracell Powermat Ring

Samsung Galaxy S4 conectado à versão micro USB do Duracell Powermat Ring

Uma aplicação prática é a utilização de recarga de energia em locais públicos, onde o acesso à energia estaria vinculado a aquisição de outros serviços, como uma espécie de “bônus”. A rede americana de cafés Starbucks já oferece algo assim em algumas franquias no estado da Califórnia, nos EUA.

Duracell Powermat Ring posicionado sobre uma base numa loja Starbucks

Duracell Powermat Ring posicionado sobre uma base numa loja Starbucks

O Duracell Powermat PMA-3 Ring já está disponível para venda nos EUA com preço sugerido de US$ 10.

Via: Powermat Technologies

Caixa de Som Tudo-Em-Um “FREEPLAY” da Mackie

Padrão

A Mackie está trazendo ao mercado um produto bastante interessante para quem tem a necessidade de fazer apresentações em público onde não há recursos de audio disponíveis. A Freeplay é uma caixa de som potente, que pode funcionar à bateria, que integra um mixer versátil que contempla dois amplificadores para microfones e/ou instrumentos, entrada auxiliar tipo “line” e aceita streaming de som via bluetooth.

Caixa de Som Amplificada Mackie FreePlay

Caixa de Som Amplificada Mackie FreePlay

 

Aqui temos algumas características:

  • Potência sonora média de 150W RMS (com máximo de 300W RMS);
  • Resposta em frequência de 65 Hz a 20 kHz;
  • Máximo SPL em 1m de 114 dB;
  • Duas entradas combo XLR para microfones ou instrumentos;
  • Equalizador de três bandas;
  • Módulo opcional de baterias com 7,4 V e 5200 mAh para até 10h contínuas de som;
  • Peso de 5 kg.
Painel traseiro do Mackie FreePlay

Painel traseiro do Mackie FreePlay

 

Uma caixa de som potente e portátil não chega a ser exatamente uma novidade, mas a integração disso a um mixer de áudio que contempla dois amplificadores e mais ainda a um streaming de audio via bluetooth, isso sim é novidade. E você controla a mixagem e a equalização desses canais pelo seu smartphone com o App FreePlay Connect da própria Mackie.

App FreePlay Connect

App FreePlay Connect

Existem suportes opcionais que podem ser adquiridos para uma melhor performance/posicionamento do som, como este para “elevar” o som:

Suporte tubular ajustável para elevar o FreePlay

Suporte tubular ajustável para elevar o FreePlay

 

Ou este para ficar no chão:

Suporte Kickstand para deixar o FreePlay no chão

Suporte Kickstand para deixar o FreePlay no chão

 
O produto estará disponível nos EUA a partir de Março deste ano a um custo estimado de US$ 399.

Via: Mackie

 

Nano Reguladores de Tensão “SIMPLE SWITCHER”

Padrão

A Texas Instruments, umas das maiores fabricantes de circuitos integrados do mundo, lançou hoje uma nova série de reguladores abaixadores de tensão DC/DC num encapsulamento que promete diminuir bastante o espaço ocupado desses itens nas placas de circuito impresso. O encapsulamento chamado 8uSiP possui meros 3,5mm x 3,5mm.

Tamanho do nano módulo

Tamanho do nano módulo em comparação à ponta de uma lapiseira

Nesse formato estão sendo lançados primeiramente quatro opções de circuito integrado:

  • LMZ21700 – Suportando até 17 Vdc na entrada e uma corrente contínua de 650 mA;
  • LMZ21701 – Suportando até 17 Vdc na entrada e uma corrente contínua de 1 A;
  • LMZ20501 – Suportando até 5 Vdc na entrada e uma corrente contínua de 1 A;
  • LMZ20502 – Suportando até 5 Vdc na entrada e uma corrente contínua de 2 A.
Visão do corte transversal do encapsulamento

Visão do corte transversal do encapsulamento

Além da eletrônica ativa toda compacta, o encapsulamento conta com um indutor (elemento passivo), na ordem de poucos micro Henrys, soldado diretamente sobre um substrato extremamente fino que protege a microeletrônica do circuito. Mesmo com um indutor elevando sua altura, essa não passa dos 1,75 mm!

Dimensões do nano encapsulamento 8uSiP

Dimensões do nano encapsulamento 8uSiP

A eficiência energética desses circuitos pode superar os 90%. Estão de acordo com a norma CISPR 22 que regulamenta dispositovos para possuírem baixa interferência eletromagnética tanto irradiada quanto conduzida. E a saída de tensão tem oscilações menores que 10 mV pico a pico.

Já estão disponíveis para venda e o custo unitário, em compras de mil unidades, gira em torno de US$ 1,50 nos Estados Unidos.

 Via: Texas Instruments

 

USB: Novo Conector e Atualização no Protocolo

Padrão

A porta USB é provavelmente a interface que mais impactou a computação nos últimos 20 anos. Antes de sua existência, qualquer dispositivo acoplado externamente ao computador carecia de alguém com um certo nível de conhecimento na área da computação para fazê-los funcionar perfeitamente. Ela trouxe a simplicidade nas interconexões dos dispositivos. E agora ela promete mais uma revolução (talvez a última, antes que as tecnologias de aimentação sem fio comecem a se popularizar).

bitamp_USB3_logo

Logotipo da USB 3.0 conhecido como USB SuperSpeed

Um novo conector vem para suprir as deficiências encontradas em suas gerações passadas:
  • Pequeno no tamanho, mas com grande robustez: Inicialmente em duas versões, uma delas se destaca no quesito “ajudando a diminuir as coisas”, já que é feito para se encaixar “cravado” na placa de circuito impresso, logo, ganha-se com uma altura menor e com uma mecânica de fixação mais robusta.
Conector USB Tipo C

Conector USB tipo C reversível “cravado” na Placa de Circuito Impresso

  • Reversível, “tanto faz” na hora de conectar o cabo: Não precisa mais temer ao conectar o cabo sem estar olhando para o conector, agora tanto faz a orientação do conector do cabo, ao conectar. Isso porque todos os sinais estão duplicados no receptáculo (parte que geralmente está no computador)
Pinagem Conector USB tipo C

Pinagem Superior (esquerda) e Inferior (direita) do Conector USB tipo C

  • Maior capacidade de corrente elétrica: Além de suportar uma corrente de 3A em 5V, o conector pode chegar até 5A em 20V! Ou seja, uma potência de até 100W!!
Tabela comparativa USB

Tabela comparativa de alimentação para os padrões USB

E essa atualização de protocolo passando de 3.0 para 3.1?
Duas coisas chamam bastante a atenção:
– Maior velocidade. O dobro. A USB passa dos 5 Gbps máximos para 10 Gbps! transformando em bytes, temos algo em torno de 1.25 GB/s! E passa a se chamar USB SuperSpeedPlus (ao invés de apenas USB SuperSpeed, no caso da versão 3.0).
– Mas talvez o grande trunfo da versão 3.1 seja possuir um controle quase que total na tensão de alimentação do barramento. Isso, por exemplo, permitirá que você carregue seu notebook pelo próprio conector USB!
Ainda em 2015 veremos computadores e dispositivos usufruindo dessa nova USB. Prova disso é que a Tektronix, uma das maiores fabricantes do mundo em equipamentos de teste e medição, acaba de lançar seu software de automação para ser utilizado em seus equipamentos com a finalidade de realizar testes totalmente automatizados em dispositivos que queiram estar de acordo com todas normas da especificação 3.1 da USB.
Tela software Tektronix

Tela do software de testes da Tektronix para validar dispositivos USB 3.1

Talvez você esteja se perguntando: como ficará a comunicação de um dispositivo USB 3.0 com um dispositivo USB 3.1? Bom, se o seu computador possuir uma porta USB 3.0 (essa porta continuará sendo USB 3.0. Se o seu computador permitir, você provavelmente poderá instalar placas PCI express que lhe concedam portas USB 3.1) a um dispositivo externo USB 3.1, ambos irão conversar utilizando o protocolo USB 3.0. Da mesma forma que se você comprar um computador com portas USB 3.1 e quiser conectar o seu dispositivo externo USB 3.0, a comunicação também será no padrões USB 3.0. Dispositivos USB 2.0 continuarão a se comunicar com dispositivos USB 3.1. Existe apenas uma pequena ressalva que alguns dispositivos USB 1.1 poderão não funcionar conectados a dispositivos USB 3.1.