Processador Exynos 7 Octa: minimizando para maximizar!

Padrão

A Samsung está otimizando um pouco mais o processador Exynos 7 Octa que já contava com uma grande gama de otimizações. Isso porque ele passa a ser fabricado utilizando o novíssimo processo de produção da Samsung de 14nm FinFET ao invés do processo de 20nm.

Processador Samsung Exynos 7 Octa de 14nm

Processador Samsung Exynos 7 Octa de 14nm

Parece pouco, mas apenas com a diminuição dos transistores em sua estrutura microeletrônica, o processador ficou 20% mais rápido e economizando 35% de energia em releção ao mesmo componente fabricado em 20nm.

Esse processador conta com 4 núcleos ARM Cortex A57 e 4 núcleos ARM Cortex A53, sendo o A57 voltado a desempenho e o A53 é voltado ao baixo consumo de energia. Ou seja, apenas 4 núcleos podem estar ativos por vez, já que este é o princípio da tencologia big.LITTLE da ARM, onde utiliza-se apenas um tipo de núcleo por vez, optando por desepenho (big) ou menor consumo de energia (LITTLE).

Tecnlogia big.LITTLE da ARM

Tecnlogia big.LITTLE da ARM

O processador Samsung Exynos 7 Octa ainda conta com uma GPU ARM Mali T760 que possibilita a este processador ser empregado em inúmeros aparelhos multimídia, desde os pequenos aparelhos alimentados por bateria, como MP4 Players e Celulares, até grandes consumidores de energia que carecem de desempenho como SmartTVs.

Exynos 7 Octa e sua empregabilidade.

Exynos 7 Octa e sua empregabilidade.

Este é primeiro produto da Samsung a utilizar o processo de 14nm. Outros ainda surgirão ainda em 2015. É bem provável que SSDs da Samsung contem com essa tecnologia ainda este ano a fim de atingirem capacidades maiores, menor consumo e um preço mais atraente para o consumidor.

Via: Samsung Tomorrow

“Computadorzinho” Raspberry Pi 2

Padrão

Se você nunca ouviu falar da famosa placa/computador Raspberry Pi, fique sabendo que esta acaba de receber uma atualização para a sua segunda versão de hardware! A Raspberry Pi original foi concebida em 2011 com o intuito de se conseguir vender a um preço muito baixo uma placa de desenvolvimento que com algum pouco esforço de desenvolvimento de software pudesse também servir como um computador de baixíssimo custo.

Placa Raspberry Pi Original de 2011

Placa Raspberry Pi Original de 2011

Algumas variações desse modelo de placa surgiram de lá pra cá, mas sempre trazendo em seu cerne o processador BCM2835, da marca Broadcom, com um núcleo ARM11 de 700MHz, que já era um núcleo datado há muito tempo, uma vez que a ARM, empresa especializada em criar arquiteturas de núcleo de processadores, já tem estabelecida uma arquitetura superior em desempenho há anos.

Placa Raspberry Pi A+, uma das variações com chip BCM2835

Placa Raspberry Pi A+, uma das variações com chip BCM2835

E finalmente está chegando ao mercado a Raspberry Pi 2 com o processador BCM2836, da mesma marca, mas com uma única diferença, o núcleo que agora é um ARM Cortex-A7 de 900 MHz que promete melhorar o desempenho das aplicações.

Placa Raspberry Pi 2

Placa Raspberry Pi 2

A grande novidade no entanto, além de suportar as distribuições específicas de linux Ubuntu e Raspbian (uma derivação do Debian mais otimizada), a placa terá suporte ao Microsoft Windows 10!

Sistema Operacional Microsoft Windows 10 rodará na Raspberry Pi 2

Sistema Operacional Microsoft Windows 10 rodará na Raspberry Pi 2

Já é possível encontrar a Raspberry Pi 2 em distribuidores internacionais ao custo de US$ 35.

Via: Raspberry Pi Blog